o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

sábado, 20 de outubro de 2012

Arriar da Bandeira

Parada na Colina do Nengo
A cerimónia no ultimo feriado nacional do 5 de Outubro, com a Insígnia Nacional, a ser hasteada no cimo do mastro "de patas para o ar", à semelhança do que fizeram ao País, trouxe-me à memória uma cena, passada em 1973 na parada do quartel do Batalhão em Gago Coutinho com a cerimónia do arriar da bandeira, ao qual muitos soldados assistiam ao final da tarde, com o piquete da guarda em formatura.
O Sargento Dia deu inicio ao ritual ordenando “firme”, “sentido” “ombro arma”, “apresentar arma”, “arriar bandeira” com o clarim a marcar a cadência da descida”, o cabo partiu e a bandeira ficou presa no cimo do mastro, por mais habilidades e manobras do Soldado da Guarda, a operação não teve êxito, o Sargento pediu um voluntário para resgatar a bandeira, ao qual se aprestou um soldado que de pronto trepou ao dito, agarrando na bandeira e iniciando de imediato a descida, o 2º Comandante que presenciava o acto, interveio irritado, ordenando ao praça que voltasse a subir o pau e á ordem de comando, voltar a descer com ela ao ombro, ao ritmo do toque do clarim, uma barrigada de riso para gáudio dos presentes, que no final tiveram que destroçar com uma veemente reprimenda e ameaças de  pildra por parte do actor da comédia …!!!  
Adeus até ao meu regresso