o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Faleceu Manuel dos Santos Roque

Faleceu, Manuel Roque, nosso antigo camarada do 4º Pelotão. O Roque, natural e residente na Gafanha da Nazaré, pereceu no ultimo sábado, carbonizado na cama do quarto da sua residência , por um incêndio que segundo fonte dos bombeiros, deve ter sido provocado por um cigarro mal apagado, já que o fogo destruiu apenas o quarto da habitação. Já há alguns anos que sofria da doença da diabetes. A evolução desta doença provocou-lhe cegueira e causou de seguida a amputação dos dois membros inferiores, ficando a partir daí dependente de uma cadeira de rodas e do auxílio dos familiares.
À sua família e amigos, os nossos sinceros pêsames, um abraço de solidariedade neste momento de angústia e dor. Ao nosso Amigo Roque um abraço em nome de todos os "Panteras Negras".
ATÉ AMANHÃ CAMARADA...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Maravilhosa Ilha de S. Miguel

É verdade amigo Botelho, ao sair dos licores «a mulher do capote» o tempo já não estava bom, mas quando estacionamos na Ribeira Grande para conhecer um pouco da Cidade,  já pensava em  baldar-me ao passeio, para  fazer uma surpresa ao camarada Botelho e dar-lhe um abraço, a chuva não me ia impedir de o encontrar, liguei apenas para saber se estava em casa, mas a chuva intensificou-se de tal maneira que o guia para aproveitar o tempo, pôs toda a gente no autocarro, e vamos embora para outro lado..! Voltei a ligar já dentro do autocarro, uma centena de metros estava a transformar-se em kms, devido à intensidade da chuva. No dia seguinte de visita ao Miradouro dos Mosteiros, contactei o nosso amigo Medeiros, disse-me que estava a cinco minutos do local, mas a pressa e a vontade de conhecer e ver muitas coisas, não dava para meter uma cunha aos meus acompanhantes, era uma injustiça fazer esperar tanta gente..!
.
S. Miguel - Açores:  João Medeiros, César Correia e Esposa
A solução foi  combinar o encontro no restaurante, a mais meia hora de caminho, onde estava previsto o almoço, para dar aquele abraço, os meus companheiros de viagem ficaram surpreendidos com aquele efusivo cumprimento, mas depois de esclarecidos quando ao motivo, somos amigos e ex-camaradas de armas em África, reafirmado também pelo Medeiros num pequeno discurso de boas vindas, com palavras elogiosas por terem visitado a sua linda  Ilha de S. Miguel, com fotos e palmas ao Açoriano, Amigo do César, prova expressa no rosto da minha esposa, reflexo da minha  felicidade na presença deste grande amigo de longa data.  Falei também com o meu grande Amigo Soares, tinha saído do mesmo hotel á 3 ou 4 dias, azar, mas a conversa foi óptima deu para matar saudades, e lá se passaram dois dias numa pequenina porção de terra, maravilhosa , que aconselho a visitarem, nem que seja em contra-relógio como aconteceu comigo, mas prometi, e se Deus me der saúde vou cumprir!.. VOLTAREI.
Um abraço a todos os camaradas Panteras Negras, e como diz o amigo Medeiros, venham aos AÇORES... César correia

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Desencontro

Lagoa das Sete Cidades na ilha de S. Miguel - Açores
Caros Amigos e Camaradas:
Fizeram poucos dias que aqui estive convosco neste mesmo local, quiçá, a molestar-vos com a minha presença e aqui estou de novo. Mas, já de seguida, dar-vos-ei cabal explicação pelo meu inesperado surgimento aqui no Blogue da Cart 3514”Panteras Negras”!... Assim e para não fazer muito “suspense” sobre a minhas motivações aqui vai a minha justificação para a tão inesperada aparição da minha pessoa:
Estava eu no anterior fim de semana muito tranquilo, na pasmaceira da minha vida, agarrado ao meu PC e à Internet, quando o meu telemóvel, que raramente dá sinal de si, me chama indicando que há alguém a querer contactar-me: Tirei-o da bolsa, liguei-o e procurei saber quem quereria falar comigo. Respondeu-me uma voz em que reconheci o timbre e características de um continental, que me soou um tanto ou quanto familiar , mas que devido ao ruído de fundo no local onde estava a pessoa que me falou, mal consegui perceber o que me dizia. Desligou e voltou a ligar-me e então percebi que tinha em linha (imaginem quem!...), o nosso camarada e colaborador deste Blogue, César Correia!...Perguntei-lhe onde ele estava e ele responde-me que estava na Ribeira Grande e que estava no centro da cidade, junto à C.Municipal. Respondi-lhe que iria ter com ele, pois estava a pouco mais de cem metros de distância, da minha casa. Responde-me ele que não valia a pena , porque estava a chover bastante naquela altura e eu nem tinha dado por isso, pois estava em casa numa sala interior e não via o que se passava.
E assim, devido à instabilidade meteorológica açoriana, deixei de ir dar um abraço a um camarada que esteve tão perto e, ao mesmo tempo, tão longe devido a esta inconstante condição tão típica do tempo nos Açores! Dizem que num só dia e é verdade, fazem-se sentir as quatro Estações do Ano. Fiquei com bastante pesar de não poder ter estado com ele o tempo que pudesse estar, pois tenho a certeza de que ele estava aqui em trânsito, deslocando-se num autocarro de aluguer, com destino talvez às Furnas ou Nordeste. Dei-lhe o abraço na mesma, embora tenha sido pelo telemóvel, o que não é como se fosse pessoalmente, mas enfim, foi o que foi possível.
Para ilustrar este post vão perdoar-me, mas não encontro outra imagem melhor do que as que ele deve ter visto em S.Miguel enquanto cá esteve e que é a nossa Lagoa das Sete Cidades.
Termino enviando cumprimentos ao Blog-Master, a todos os colaboradores, mas em especial ao César Correia, fazendo votos de que, numa próxima viagem que faça aos Açores, tenhamos a oportunidade de nos encontrarmos pessoalmente, a todos os Panteras Negras e familiares e aos eventuais visitantes do Blogue, onde quer que se encontrem. Até breve!...
Para todos, um abraço do Camarada e Amigo, Botelho

domingo, 12 de junho de 2011

Falta ao Convívio/CArt 3514-2011

Angola 1966
Caros Amigos e Camaradas:
Após um prolongado período de silêncio e ausência da minha parte nestas andanças literárias, eis que aqui estou de novo de regresso ao nosso Blogue por, embora não sendo necessário justificar a minha falta, eu achar que vos devo uma explicação pela minha não comparência ao convívio da Cart 3514, que este ano se realizou sob a direcção do nosso camarada Dinis, na terra da sua naturalidade, Arganil, coadjuvado pelos camaradas Oliveira, passado dia 28 do mês findo. Sucedeu que, precisamente nesse dia, foi realizado no Restaurante Pastilha & Filhas, em Reguengos do Fetal, Batalha, um convívio para qual já há 44 anos andava a ser “puxado”, sem que, por diversas razões de força maior, me tivesse sido possível aderir e que se tratava de um evento que envolvia os meus camaradas que me acompanharam na minha primeira comissão de serviço a Angola, integrado na CArt 785/BArt 786-RAP-2, nos anos de 1965-67. Poder-se-á acrescentar que foram eles os primeiros a convidar-me para este convívio e foram eles que ganharam o concurso da minha presença. Por outro lado haveria também a impossibilidade de estar em dois lugares ao mesmo tempo e, por isso, optei pelos mais antigos e em lista de espera há mais tempo. Pela minha falta ao vosso convívio, apresento as minhas desculpas. Embora fora do contexto deste Blogue, mas com opinião favorável do Blogmaster, que achou não haver inconveniente em tal, vou anexar a este post uma imagem referente à minha primeira Comissão e que me representa quando eu tinha os meus 29 anos de idade (já lá vão 45 longos anos) e muito boa saúde!...Para o próximo convívio da Cart 3514, em Évora, como é meu hábito, não faço promessas que é para não faltar. A seu tempo e conforme for decorrendo a minha saúde e disposição para sair do aconchego da minha casa, direi algo ao organizador do evento e ver também se consigo, antecipadamente, alguém que me dê uma boleia da portagem da Ponte 25 de Abril até ao Alentejo. Entretanto, hei-de ir aparecendo de vez em quando por este espaço, para ir dando algumas notícias. Quero ainda dizer que, apesar de ter perdido este ano, com bastante pesar meu, o convívio dos Panteras Negras, gostei muito de ter tido a oportunidade de encontrar-me com os meus camaradas mais velhos, que já não via, a maioria deles, há uns 44 longos anos. Não quero alongar-me mais neste post e, por isso, vou terminar enviando cordiais saudações para o Blogmaster, restantes colaboradores, Panteras Negras e familiares e ainda aos eventuais visitantes deste Blogue, onde quer que se encontrem. Até uma próxima oportunidade, que espero seja em breve.
Para todos um abraço do camarada e Amigo, Botelho.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Noticias de Lumbala Nguimbo

Toponímia
-Moxico-
 Pelo menos 30 jovens do município do Lumbala Nguimbo, a sul da cidade do Luena, província do Moxico, receberam as suas casas no sábado, entregues pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba. A par das casas, que foram erguidas no prazo de dois anos, o titular da pasta da Juventude procedeu à inauguração de um centro comunitário juvenil, um projecto enquadrado no programa “Angola Jovem”. Este centro, que comporta salas de informática, de aconselhamento e de conferência, biblioteca, anfiteatro, estúdio fotográfico, zona administrativa, salão de beleza, cozinha e quartos de banho, está orçado em 350 mil dólares. O ministro disse que as residências entregues aos jovens têm por objectivo diminuir as dificuldades habitacionais por que têm passado nos últimos tempos. Estas acções juntam-se aos esforços para resolver os problemas ligados ao desemprego, fome e pobreza. De acordo com o ministro, a implementação destes vários programas têm igualmente como objectivo o rápido desenvolvimento das comunidades, daí as acções de fomento à agricultura, concessão de créditos e financiamentos de projectos juvenis. Gonçalves Muandumba mostrou-se satisfeito com o empenho do governo provincial no desenvolvimento do município, que apresenta uma nova imagem, com a construção de várias infra-estruturas de impacto social, deixando para atrás os escombros da guerra. Após estas inaugurações, o ministro da Juventude e Desportos procedeu à entrega de uma ambulância ao Hospital Municipal dos Bundas, que vai ajudar a diminuir as carências que a unidade enfrentava em termos de transporte de pacientes em estado grave e outros.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Arganil 2011

A Cart 3514 conviveu no passado fim de semana em Arganil, vila e sede de concelho, encravada na Serra do Açor, numa região de grande beleza, muito fértil em vegetação e cursos de água.
Área com vestígios dos povos primitivos e da ocupação romana, como atestam a Necrópole dos Moinhos de Vento e o Acampamento Militar Romano da Lomba do Canho.
A Vila é dona de um invejável Património, destacando-se no Centro Histórico a Capela de São Pedro, a Igreja da Misericórdia, a Capela do Senhor da Agonia, ou o Pelourinho da Vila.
Na periferia, o Santuário de Nossa Senhora do Monte Alto datado do século XVI, situado a 500 metros de altitude,  na zona 
serrana do municipio, as aldeias tradicionais, plantadas nas encostas das serranias e vales da região, como Vila Cova de Alva, Benfeita e na rede “Aldeias de Xisto” Coja, Malhada Chã, Barriosa e Piódão, uma das mais bonita do País.
Este ano o convívio organizado pelos camaradas Victor Dinis, Manuel António Oliveira e Fernando Oliveira, na sua linda região, que nos receberam com a tradicional hospitalidade beirã, o ponto de encontro estava marcado para o parque municipal, depois no Monumento aos Combatentes, uma pequena cerimónia, com a deposição duma coroa de flores e um minuto de silêncio em memória dos nossos camaradas falecidos e aos que tombaram em nome da Pátria. 
Arganil 28 Maio 2011 - 1ª Alves Ribeiro, Santos Oliveira, Raul de Sousa, Paulo Ribeiro, Pereirinha, Matos, Ermendino Nunes, Parreirinha, Carvalho e António Duarte. 2ª César Correia, Ruivo, Costa e Silva, M. António Oliveira, Dinis, Eduardo Barros, Fonseca Marques, Carrusca, Ferreira da Silva, Dias Monteiro, Lopes Oliveira (Milo), Parreira, Pereira Rego, Gaspar, Neves Tavares, F. Pereira de Oliveira, A. Jacinto Carocinho (Beja), Mauricio Ribeiro, Serafim Gonçalves, Victor Melo, Augusto Pires, C. Porfirio Gonçalves e M. José Oliveira
Uma passagem na sede da Liga dos Combatentes e depois a peregrinação serra acima a caminho do Monte Alto para uma visita ao Santuário e ao miradouro, finalmente deslocamo-nos para o Restaurante, encastoado no meio ambiente, com uma vista magnifica da envolvente, no jardim circundante atapetado de relva, foi-nos servido um buffet de salgadinhos, rissóis, croquetes, enchidos vários, presunto, queijos e grelhados degustados com fresquíssimos brancos e verdes, depois das fotos de família um excelente almoço na acolhedora sala de jantar do complexo com musica do folclore local ao vivo, sobressaindo na ementa como prato principal a famosa chanfana, um saboroso pitéu beirão acompanhado dum encorpado tinto regional, depois, doces, cafés, digestivos em bar aberto, as histórias, as memórias, o companheirismo, as mensagens dos que não puderam estar presentes, os discursos, o bolo o champanhe, o Hino da Cart, o abraço apertado e o até para o ano em Évora.
Adeus até ao meu regresso