o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

domingo, 20 de abril de 2014

Já lá vão 42 anos

02- 04-1972,  Domingo de Páscoa - Faz hoje 42 anos que embarcamos para Angola estávamos no RAL3 em Évora, na manhã desse domingo fardados a rigor de atacadores brancos nas botas e luvas brancas formados na parada do quartel.
.
Depois desfilamos  até à Praça do Giraldo onde nos despedimos da cidade, também era domingo de Páscoa, jamais nos vamos esquecer dessa data, como dizia o nosso camarada Araújo Rodrigues com alguma ironia...!! Quem no dia de Páscoa, deambulei-a por tais caminhos, ou não tem família, ou está zangado com a mulher..!! De facto só gente dessa, nos podia ter despachado para Angola nesse dia...!!
Adeus até ao meu regresso.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Aos Camaradas e Amigos, Panteras Negras

A Páscoa, além de ser uma das festas em que as famílias aproveitam para se reunirem e renovarem os votos de paz e de saúde, para nós” Panteras Negras”, será sempre um dia para recordar até que a nossa memória se extinga; foi num dia de Páscoa, há quarenta e dois anos atrás que abalamos, rumo ao desconhecido, deixando para trás pais, esposas e filhos, namoradas e amigos. Mas salvo duas excepções, de saudosa memória, regressamos e estamos cá para contar a história. Nesta época das festas da páscoa, quero aqui deixar dois apontamentos, com os quais de certeza todos vós concordais. Em primeiro lugar, recordar com muita saudade os nossos camaradas que já não estão entre nós, já partiram desapareceram na curva da estrada desta vida. Por fim, desejar a todos vós – PANTERAS NEGRAS - (no qual incluo como não poderia deixar de ser as vossas famílias) uma PÁSCOA MUITO FELIZ, cheia a de saúde, paz e amor. Já agora, faço também, os votos de que nunca vos falte uns trocados, que neste tempo de crise, ajudam muito.
Para todos um abraço e até ao próximo “GOLPE DE MÃO” marcado para Penacova.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Recordações com 40 anos...!!

De César Correia
Tínhamos chegado á pouco tempo a Luanguinga, e todos, desde o Cmdt. da companhia, aos alferes, furriéis, cabos e praças, se prestaram  a colaborar, na organização de algo que ocupasse a mente nos tempos livres, uma solução foi a pratica desportiva e o favorito era o futebol, mas também o voleibol  a sueca e outros jogos de cartas, faziam parte da actividade lúdica. Outros de forma altruísta dedicaram-se  voluntariamente ao ensino das letras e números, na alfabetização de alguns camaradas que as vicissitudes da vida  não lhe  tinham permitido o acesso à escola enquanto jovens. Uma tarde alguém comentou á minha beira, o Furriel Soares vai formar um grupo Coral, se quiseres participar a malta vai juntar-se no refeitório, «um barracão que servia para esse efeito» claro que queria, ainda hoje gosto de cantar!! Mal ou bem?? Não sei!!! Mas gosto, e com 20 anos!!  Cheguei!!! e lembro-me que já estavam a ensaiar o coro, quantos...!! Não sei, cantavam bem... também não me lembro, só recordo dos vozeirões do Botelho, e do Paulo Ribeiro. Nova canção,  e fui convidado pelo Soares a participar no coro, depois das devidas instruções, começámos a exercitar, levantei a voz para fazer frente aqueles vozeirões, queria dar nas vistas, excedi-me!!!
.
 O exibicionismo custou-me caro, o Maestro comentou em tom irónico. A cantar alto já cá tenho muitos, vai dar uma volta, mentia se disse-se que na altura não tinha ficado chateado, com vergonha, porque achei que não era motivo para ser despachado assim, mas paciência, o coral  foi um sucesso, eu teria tido  muito orgulho em ter participado. Pouco tempo depois, voluntariei-me para formar a Equipa das Obras, com, o Matos do 3º Gr,  o Vaz do 1ºGr,  e o CHEFE???? Furriel Soares, pensei para mim!!! Já estou "F" tramado,  mas não meus caros aqui a música era outra e os instrumentos também, durante mais ou menos dois anos, trabalhamos, colaboramos, discordamos, mas conversamos sempre dentro dos limites com respeito, o objectivo era comum, trabalhar bem, nas muitas e variadas obras que fizemos para a instalação dos serviços da Companhia, e também para o bem estar de todos os Camaradas , e também na construção da famosa Peixaria em Gago Coutinho em que o Mestre Soares, encarregado de  obra discutia e dava suas opiniões a outros mestres de obras já bem credenciados, a ponto de ser-mos convidados para os acabamentos de outras obras..!!! Éramos camaradas, tornamo-nos amigos, fomos companheiros,  aventureiros a ponto de algumas vezes arriscarmos a própria vida,  colaboramos nas mais diversas decisões e ao fim destes quarenta anos tenho orgulho de continuar  a considera-lo um grande AMIGO, pois nem sempre quem te repreende te quer mal. Um Abraço a todos Os Panteras Negras, que espero abraçar em Penacova, e ao Soares, um abraço especial por me ter dado a oportunidade de hoje estar aqui a recordar esta saudosa "estória" de  Amizade

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Do Jornal "Comarca de Arganil"

De Serafim Gonçalves.
Noticia do jornal Comarca de Arganil, publicitando o evento da nossa companhia a realizar no próximo dia 17 em Penacova.
.