o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A Malta vai Ressuscitando..!!

Joaquim Lopes Gonçalves mais conhecido por “Beringel” na Cart3514, antigo condutor-auto, natural de Beringel ali para os lados de Beja, destacado no 1º grupo nos acampamentos do Lumbango e na Pedreira do Nengo,durante algum tempo. Como é hábito nesta rubrica destacar o regresso de camaradas após muitos anos de ausência, mas nunca esquecidos, o Gonçalves volta  a reencontrar os camaradas "panteras negras" trinta e nove anos depois, no próximo almoço convívio, actualmente na situação de aposentado, decidiu  este ano, associar-se ao evento e viajar até Lagoa no Algarve na companhia do António Carocinho “Beja”.
.
1972 - Cidio Vaz, Gaspar, Alf. Rodrigues, Tomás Silva, Conceição, Jesuino, Melo, Beringel, Carvalho e Pinto 
Recordo uma pequena "estória", que jamais esquecerei passada numa tarde de Novembro de 1973, comemorámos nessa data o S. Martinho na Colina do Nengo com uma assada de castanhas, bem regada com vinho e cerveja, no final do magusto já com o sol no horizonte, partimos a caminho da Pedreira do Nengo, com alguns já de vela encharcada, o condutor do velho burrinho do mato era o Joaquim Gonçalves “Beringel”, bom rapaz, mas um pouco nevoso que fervia em pouca água, a pouca distancia do destacamento, havia  uma curva manhosa na picada de terra batida, que contornava uma pequena enseada na orla da mata, o excesso de velocidade, o lusco-fusco e alguma negligência, provocaram um pequeno acidente, com a queda aparatosa duns três ou quatro que iam sentados no estrado do Unimog, projectados borda fora para o meio da mata,  de entre eles o saudoso Simplício Caetano, que com um grão na asa, não era farrapo de assoar. 
.
!972 - Joaquim Gonçalves e Carvalho
Após a chegada e apesar de não ter havido feridos, instalou-se a confusão, mais pelo efeito colateral dos vapores etílicos do que pelo trauma, não paravam de pedir satisfações ao condutor, palavra puxa palavra, entornaram o caldo, com o Caetano a tentar tirar esforço e o Beringel de canhota em punho a puxar a culatra a trás, com o restante pessoal a travar a contenda e a sanar a situação, no outro dia quando tentamos averiguar a desmanda e admoestar os prevaricadores com algumas "guardas à benfica"  já ninguém se lembrava com rigor do incidente, apesar de alguns hematomas à vista e à mistura, que há dias recordei ao telefone em conversa com o Joaquim Gonçalves. 
Adeus até ao meu regresso

Sem comentários :

Enviar um comentário