o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

sábado, 15 de agosto de 2009

Reminiscências do Leste de Angola

Caros Camaradas:
Após uma ausência de cerca de um mês e meio resolvi, novamente, dar sinal de vida através deste meio de comunicação que, para mim, tem tanto valor como outro qualquer e, tudo isto para vos querer dizer que, apesar de ter estado ausente das páginas deste nosso Blogue e da vossa companhia durante tanto tempo, não deixei, por outro lado, de ter estado em comunicação muito mais frequente e particular com outros elementos da nossa CArt 3514 usando outros meios, tais como o telefone, o telemóvel, o e-mail e todos os outros instrumentos que, modernamente, estão ao alcance de muitos de nós.
Evidentemente que me não seria materialmente possível contactar-vos a todos pessoalmente por aqueles meios e assim, para contentar a todos em maior número possível, lancei mão deste meio com muito mais amplitude e possibilidades de contacto para, em simultâneo, mostrar que ainda ando por cá e levar-vos mais uma imagem de alguma ocorrência do passado, que nos fará reviver e recordar factos e pessoas que fizeram e, por incrível que pareça, continuam a fazer parte integrante da nossa vida actual e da nossa história pretérita que, por essa mesma razão, continua viva na nossa memória enquanto vivermos.Uma vez feito o preâmbulo deste post, venho apresentar-vos uma imagem que poderá ou não, ser inédita!...No entanto acho que deve ser, porquanto a fui encontrar um pouco afastada do conjunto de outras que tenho e que ainda não estava digitalizada como outras que possuo!...O certo é que não tenho ideia de, até hoje, a ter visto publicada neste blogue nem em qualquer outro álbum!...por isso vou anexá-la a este articulado, dê no que der, não interessa para o caso!...A foto em questão foi tirada na Messe de Sargentos no Destacamento Séde da CArt 3514, situado na Colina do Nengo, nos já distantes anos de 73/74 e assinala uma festa de aniversário que um qualquer dos “Panteras Negras” que figuram na mesma!...Não sei nem me lembro do mês nem do dia e o ano é um dos que foram ditos acima!. Na verdade, não há qualquer pista que permita precisar a data do evento e isso até não tem importância de maior, pois o que na realidade interessa é o facto em si, documentado da forma que está e isso já é suficiente. Documenta um determinado passo das nossas vidas, decorrido já há uns 35 para 36 anos!... E esse já longínquo tempo, apesar da situação real vivida naquele tempo, deixa nostalgia de muitas coisas: Da nossa idade, da nossa saúde, que não nos dava os problemas que nos dá hoje(para mim, a saúde está a anos-luz de distância da que tinha naquele tempo!) e, por ultimo, mas não menos importante, a camaradagem, a amizade, a boa convivência e a solidariedade que existia entre nós todos, sem distinção.
Passo agora a identificar os figurantes da foto que anexo: 1ª fila: Vicêncio Carreira, Liberto, Fur. Parreira e eu; na 2ª fila: Parreirinha, Fur. Duarte e Fur. Pereirinha.O post está a ficar longo e não tenho a pretensão de maçar nenhum de vós e, por isso, vou terminar enviando saudações para todos os elementos da CArt 3514 em geral e para os eventuais visitantes do Blogue. Envio finalmente um abraço amigo para todos os restantes colaboradores do mesmo!...
Adeus, até uma próxima oportunidade!...
Octávio Botelho

1 comentário :

  1. Se bem me lembro esta foto, foi tirada no S. Martinho de 73 numa celebre castanhada, que já não me recordo como as ditas chegaram ao leste, tenho a ideia que vieram da Manutenção Militar no Luso, o Diogo ainda se lembrará decerto, e se balão houvesse na altura tinhamos de mandar parar a guerra como dizia o Solnado, tal o estado calamitoso de alguns.
    um abraço

    ResponderEliminar