o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

domingo, 31 de agosto de 2008

Reconstrúidas pontes no Leste

Moxico
Reabilitadas mais de vinte pontes nos Bundas em seis anos.
Vinte e sete pontes metálicas e de madeiras foram construídas e reabilitadas desde 2002 até a presente data, no município dos Bundas, província do Moxico, revelou hoje, sábado, em Lumbala Nguimbo, o seu administrador, Augusto Júlio Kuando. Em declarações à Angop, o responsável explicou que as pontes estão montadas sobre os rios Lunguevungo, Luconha, Luzi, Luvei, Luoze, Lulue, Lumai, Luyo, Kavuyana, Lutembo, Lufuta e Luanguinga, localizados no troço rodoviário que liga a comuna de Lucusse à vila de Lumbala Nguimbo. Apontou que foram igualmente repostas as pontes sobre os rios Ninda, Nguimbo, Mussuma, Nengo, Luce, Luati, Ninda, Cassanga e Chiume, no troço rodoviário que dá acesso às comunas de Ninda e Chiume (Bundas). O administrador municipal indicou que neste momento estão em curso os trabalhos para restituição das pontes sobre os rios Lucula, Mulai, Luanduli, Sessa e Chipumba, no sentido de atingir a sede comunal de Sessa. Sem precisar o montante financeiro empregue na empreitada, o responsável fez saber que a paz no país favorece na recuperação das principais vias de acesso, permitindo assim a livre circulação de pessoas e bens em prol do desenvolvimento da circunscrição. As pontes foram construídas e reabilitadas pelo Instituto Nacional de Estrada de Angola (INEA) em colaboração com a companhia de engenharia das Forças Armadas Angolanas (FAA) e do Programa Alimentar Mundial (PAM).
Notícia AngolaPress

Sem comentários :

Enviar um comentário