o0o A Companhia de Artilharia 3514 voou para Angola no dia 2 de Abril de 1972 (Domingo de Páscoa) num Boeing 707 dos Tams e regressou no dia 23 de Julho de 1974, após 842 dias na ZML de Angola, no subsector de Gago Coutinho, Provincia do Moxico o0o Rendemos a CCAÇ.3370 em Luanguinga em 11 de Abril de 1972 e fomos rendidos pela CCAÇ.4246 na Colina do Nengo em Junho de 1974. Estivemos adidos ao BCav3862 e depois ao BArt6320 oOo O Efectivo da Companhia era composto por 172 Homens «125 Continentais, 43 Cabo-Verdianos e 4 Açorianos» oOo

sábado, 6 de dezembro de 2008

Documentos D´outrora (4)

O Bate Estradas

A Cart.3514 tinha como endereço postal o S P M 6026

Quem não se recorda dos célebres aerogramas, também conhecidos por «bate estradas» oferecidos gratuitamente, a todos os militares, destacados nas campanhas ultramarinas, que todos nós usávamos para enviar noticias aos familiares, namorada e amigos. Este meio de comunicação foi criado em 1961 por uma associação Salazarista denominada Movimento Nacional Feminino, que detinha os direitos e a responsabilidade na edição e distribuição pelas unidades militares nos vários teatros de operações. Este exemplar em anexo foi remetido do S P M 6026 (Cart.3514) e carimbado pelo Serviço Postal no PMC 206 (G. Coutinho) no dia 13.12.72 em Angola com destino a Portugal.
Apenas por curiosidade, muito deste correio era violado pela pela pide, e aquele que continha indiscrições ficava pelo caminho, e depois, havia normas a seguir, o remetente só podia incluir o Nome o Posto e o S P M, no destinatário em vez de Portugal escrevia-se Metrópole.

3 comentários :

  1. Caros amigos:
    É mais uma imagem esbatida, mas ao mesmo tempo bem vincada, a dos famosos "bate-estradas" que eram a maneira de nos proporcionar,
    gratuitamente, a comunicação escrita com os nossos familiares e amigos e, como disse o Carvalho, a melhor e mais discreta forma de censurarem o nosso correio. É, porém, importante assinalar que os aerogramas de cor azul eram exclusivamente destinados a ser ex-
    pedidos do Ultramar para a Metrópole, porquanto existiam outros, estes de cor amarela para as correspondências em sentido inverso - Metrópole- Ultramar.
    Embora este facto não tenha importância de maior, fica assim complementada e esclarecida a utilzação dos citados "bate-estradas", isto sem intenção de pretender dar lições de nada ao caro amigo Carvalho sobre a maté-
    ria em causa... É apenas e só um comentário.
    Sem mais, vou terminar pois já estou a alongar-me.
    Cordiais saudações aos restantes colaboradores.
    Um abraço para todos do amigo

    Botelho

    ResponderEliminar
  2. Amigo Botelho faço das suas palavras uma lição, eu já naõ me recordava desse pequeno pormenor, a cor dos aerogramas enviados da Metrópole para o Ultramar, de facto não eram iguais, agradeço a dica.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Caro Carvalho:

    Não é caso para tanto!...
    Toma-o pelo que é!... Um simples comentário e nada mais.
    Um abraço

    Botelhoarba

    ResponderEliminar